Enquadramento histórico

Até meados dos anos de 1980 a maior parte das organizações baseavam a medição e gestão do seu desempenho organizacional quase exclusivamente em medidas e indicadores financeiros. Esta forma de medir e gerir o desempenho organizacional possuía muitas limitações. Os indicadores (também designados por KPI – Key Performance Indicators) tinham características essencialmente retrospetivas, o que apesar de dizer muito sobre o passado, pouco ou nada diziam sobre o futuro. Rentabilidade dos capitais próprios, rentabilidade das vendas ou rentabilidade do ativo eram alguns dos exemplos de indicadores utilizados frequentemente pelas empresas.

Continuar:Balanced Scorecard: O Despertar

Caso pretenda equilibrar as equilibrar as suas finanças pessoais ou criar um fundo de maneio, é possível através de algumas dicas de poupança.

1 - Leve marmita para o trabalho

Esta dica têm um impacto muito grande no orçamento, uma vez que em média o valor de refeição poderá rondar entre os 8 e os 10 euros, sendo que representa uma poupança de aproximadamente 210 euros mensais. O mesmo se aplica ao pequeno-almoço,  lanches e ainda aos cafés fora de casa.

Continuar:As 7 melhores dicas de Poupança

O Plano de Negócios (PN) é um documento que sistematiza a informação sobre qual é a nossa ideia de negócio, como tencionamos implementá-la e quais os resultados que esperamos obter.

Deve ser elaborado pelo empresário, o qual deve solicitar a colaboração de especialistas externos, em matérias como a vertente financeira e a viabilidade económica do projeto.

Para que os objetivos sejam atingidos deve o PN ser elaborado a pensar a quem é dirigido. Deve-se portanto ter em conta alguns conceitos práticos que se apresentam de seguida:

Continuar:7 dicas para elaborar um bom plano de negócios

Quando falamos de empreendedorismo, e de empreendedores, temos presente o estereótipo do empresário que não tem tempo a perder, que, normalmente, só conta consigo para gerir o seu negócio e, que tem grande dificuldade na gestão da sua agenda diária, tantas são as tarefas que tem que executar no seu dia-a-dia.

No fundo, para um empreendedor, o dia não tem horas suficientes para tudo que é preciso ser feito, incluindo-se aqui as necessidades de formação e a dificuldade em encontrar na agenda espaço para assistir a aulas num estabelecimento de ensino.

Continuar:Empreendedorismo e Formação – 5 benefícios para provar que o eLearning é a escolha acertada

Não é novidade para ninguém que a formação contínua tem um papel fulcral no desenvolvimento da carreira de qualquer profissional. No entanto, e apesar de a própria legislação portuguesa preconizar a obrigatoriedade das empresas proporcionarem a formação profissional e contínua aos seus colaboradores, esta situação não é acolhida com bons olhos por todos os empregadores.

Para algumas empresas a formação contínua é apenas um aumento de custos para a própria organização. Também é verdade que este entendimento é partilhado por grande parte dos colaboradores que não vislumbram imediatamente os benefícios proporcionados pela aquisição de novos conhecimentos ou pela atualização e renovação de conhecimentos anteriormente adquiridos.

Continuar:As vantagens da formação contínua